Codesp publicará novo edital do VTMIS nos próximos dias

A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), estatal que administra o Porto de Santos, pretende publicar, nos próximos dias, o novo edital para a implantação do sistema de monitoramento e informações do tráfego de navios (VTMIS) no cais santista. Esta é a última ação da Autoridade Portuária em 2013 e a expectativa é concluir o processo licitatório no final do ano que vem.

O programa, denominado oficialmente como Vessel Traffic Management Information System (VTMIS ou Sistema de Gestão de Informações do Tráfego de Embarcações), possibilitará à Autoridade Portuária ter um maior controle sobre o canal de navegação do cais santista.

A estimativa para o término do processo licitatório foi feita pelo diretor-presidente da Codesp, Renato Ferreira Barco. Ele explica que a nova publicação do edital para a implantação do VTMIS foi a saída encontrada pela estatal para garantir a participação de muitas empresas na concorrência. “Tivemos um edital publicado, mas ele gerou algumas dúvidas entre as empresas interessadas. Então resolvemos recolher, refazer e republicar para que todas possam participar sem questionamentos”, destacou.

A previsão de Barco é publicar o edital aprimorado, com novos prazos e novas exigências, nos próximos dias. Segundo a Docas, o certame retornará à etapa de abertura e novas empresas poderão adquirir o texto licitatório. Também será possível novas consultas e pedidos de esclarecimentos.
No último edital publicado pela companhia, as empresas interessadas deveriam ter capital mínimo de R$ 3,6 milhões. Por isso, as concorrentes poderiam se unir em consórcios.

A empresa vencedora terá de realizar o projeto executivo para a implantação do VTMIS, gerir sua implementação, integrá-lo aos sistemas da Codesp e fornecer os equipamentos (hardware) e programas (soft-ware) necessários. Além disso, a firma (ou consórcio) escolhida será responsável por capacitar os servidores da Codesp e de entidades parceiras, como a Marinha do Brasil (por meio da Capitania dos Portos de São Paulo), a operar o sistema.

O investimento previsto inicialmente para a instalação do serviço era de R$ 19,4 milhões, desde que fosse implementado através do Reporto, o programa de isenção de impostos do Governo. No entanto, sem esse benefício e privilegiando questões ambientais, o valor poderá chegar a R$ 36,5 milhões. Deste total, R$ 20 milhões serão custeados pela Secretaria de Portos (SEP), montante a ser aportado ao longo de 42 meses. O restante virá do caixa da Codesp.

Monitoramento

Para que o VTMIS seja implementado, será necessária a instalação de pelo menos quatro pontos de monitoramento na região do complexo marítimo. Eles serão colocados na Ilha da Moela, na Ponta de Itaipu e na região de Conceiçãozinha, os três em Guarujá, e na Ilha Barnabé, na Área Continental de Santos.

O centro de controle de todos os dados ficará na antiga Ponte de Inspeção Naval, hoje desativada, na Ponta da Praia. Lá, acontecerá o processamento e a supervisão das informações, além das comunicações com as embarcações, por meio de um sistema de rádio VHF marítimo.

O VTMIS contará com um sistema de radar, câmeras inteligentes de longo alcance e um transponder AIS (Automatic Identification System, um sistema de identificação automática), além de sensores meteorológicos.

O radar, além de auxiliar a navegação, guiará o AIS na detecção de embarcações menores ou que não emitam sinais de transponder. Os dois equipamentos vão ajudar as câmeras inteligentes a filmar embarcações monitoradas.

Já os sensores meteorológi-cos vão servir para coletar dados climáticos e de visibilidade nas vias de navegação. Eles serão instalados em uma estação meteo-oceanográfica, que coletará dados sobre o clima e o movimento da maré com o auxílio de dois marégrafos. Assim, os operadores da central poderão estimar, de forma precisa, a profundidade dos berços do Porto, auxiliando a atracação de navios.

FONTE: A Tribuna

Speak Your Mind

*