ES ESTREIA SISTEMA AUTOMATIZADO DE CONTROLE DE TRÁFEGO

160331-porto-de-VitoriaEnquanto o Espírito Santo espera a construção de um porto de águas profundas, o Porto de Vitória investe em melhorias para aumentar sua competitividade. O complexo é estratégico para o Estado e sua área de influência se estende por todo o Espírito Santo, bem como pelas regiões leste e oeste de Minas Gerais, leste de Goiás, Norte Fluminense, sul da Bahia e do Mato Grosso do Sul.

Segundo a Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), o Porto de Vitória será o primeiro do Brasil a contar com sistema automatizado de controle de tráfego de embarcações. O VTMIS permitirá reduzir o tempo ocioso dos berços de atracação. Hoje, no Terminal de Contêineres de Vila Velha, esse tempo é de 12 a 14 horas entre um navio e outro. De acordo com a empresa, o sistema deve entrar em operação dentro de três meses.

O VTMIS será operado nos dois primeiros anos pelo Consórcio Indra, mesmo grupo que venceu a licitação para a implementação do sistema no Porto de Santos. “O VTMIS é como um sistema de radar em um aeroporto. Ele permite que o porto seja operado por instrumentos em condições de tempo e visibilidade em que normalmente não seria possível”, explica Luis Claudio Santana Montenegro, diretor-presidente da Codesa. “Desse modo, ganhamos capacidade nos momentos de pico.”

Orçado em R$ 22,9 milhões, o projeto está sendo realizado pelo consórcio Indra VTMIS Porto de Vitória, formado pelas mesmas empresas que venceram a licitação para a implementação do sistema no Porto de Santos.

O Porto de Vitória também aguarda a conclusão das obras de dragagem, para aumentar a profundidade de suas águas para 14,5 metros. O governo federal realizou apenas a primeira parte da obra, que é essencial para que o porto receba navios da classe Panamax. “A maior parte do tráfego internacional de carga é feita em navios dessa classe, e desse modo Vitória ficaria alinhada à maioria dos portos internacionais”, diz Montenegro.

O presidente da Codesa explica que com isso seria possível receber navios do tipo roll on roll off, usados para transporte de veículos. “Desse modo, poderíamos atrair montadoras para o Estado.”

Montenegro conta ainda que Vitória será um dos primeiros portos do país a concluir o projeto de gestão do acesso rodoviário, desenvolvido pela Secretaria Especial de Portos. Com isso, Montenegro afirma que será possível acabar com as filas de caminhões parados à beira da estrada. “Estamos implantando um sistema de gerenciamento que permitirá agendar a chegada dos caminhões ao Porto.”

No plano da Codesa está prevista a transformação de um dolphin (coluna de atracação para navios graneleiros) em mais um cais em berço contínuo, ao lado de Vila Velha. Do ponto de vista da gestão, o Vitória já completou a implantação do projeto de desburocratização Porto Sem Papel.

Fonte: Valor Econômico/Carlos Vasconcellos

Speak Your Mind

*