Dicas de Emprego em Petróleo & Gás Offshore

Trabalhe num Plataforma Offshore no BrasilO mercado de Óleo e Gás no Brasil vive uma crise que teve início no final de 2014. Por conta das investigações nas empresas de petróleo, recessão da economia e desconfiança dos investidores no nosso governo,  o mercado estagnou em 2015.

Antes disso, o mercado passou pelo maior crescimento em sua história. Fomentada pela exploração do Pré-Sal, a indústria teve investimentos de mais de US$200 bilhões até 2014. Apesar de tudo isso, ainda há uma demanda por mão-de-obra qualificada na indústria.

A procura por empregos na área tem sido constante apesar da redução de vagas por conta dos bons salários oferecidos que contam com iniciativas do governo e iniciativas privadas que visam acelerar o desenvolvimento da mão-de-obra qualificada para suprir a necessidade do mercado de trabalho.

Como a concorrência nesta área tem aumentado quem quiser entrar no mercado tem que focar em ter experiência e qualificação na posição que estiver se candidatando. Isso significa ter experiência profissional na área, experiência marítima e se qualificar em todos os cursos necessários para trabalhar em offshore.

Como é a Vida Dentro da Plataforma

A vida dentro de uma plataforma é bem dinâmica. Geralmente favorece trabalhadores bem humorados e energéticos. Veja a reportagem sobre a vida na plataforma:

Vantagens

  • Bons salários – empresas de offshore pagam salários elevados. Algumas até pagam em moeda estrangeira.
  • Mais dias de folga – geralmente o tempo entre ficar embarcado e em terra é dividido. Geralmente os funcionários ficam de folga quando estão em terra, quando soma esse tempo a maior parte passa mais da metade do ano de folga.
  • Carreira – as empresas geralmente oferecem boas progressões de carreira já que é favorável manter um empregado bem treinado do que ter que contratar novamente.
  • Oportunidades Internacionais – como muitas das empresas são internacionais há várias oportunidades para trabalhar em outros países que exploram petróleo tais como: Arábia Saudita, Nigéria, Estados Unidos, Kuwait, Emirados Árabes Unidos, Venezuela, México, Rússia, Noruega, China, Canadá e Reino Unido.

Desvantagens

  • Risco – trabalhar em alto mar envolve riscos. Trabalhar com líquidos ou gases combustíveis mais ainda. Com as plataformas cada vez mais distantes da costa o risco tem aumentado cada vez mais, ainda mais que o transporte tem sido feito de helicóptero – o que leva muitas empresas a exigirem curso de escape de aeronave submersa.
  • Treinamento – as empresas requerem que seus funcionários estejam sempre atualizados. Logo, acabam passando algum tempo em terra fazendo treinamentos específicos.
  • Distância – a distância e dificuldade de comunicação afeta mais aqueles que tem família e filhos. Já que não se pode escolher as datas que vai embarcar, muitas vezes acaba abrindo mão de eventos de família para embarcar.
  • Confinamento – os trabalhadores de plataforma ficam confinados em lugares pequenos, e as vezes tem que compartilhar espaço com outras pessoas que não conhecem.
  • Horário de trabalho – muitos dos turnos nas plataformas são longos, já que não tem muito espaço para lazer. Geralmente tem turnos diurnos e noturnos e os funcionários tem que revezar.
  • Enjoô e tempestades – as plataformas não são tão estáveis quanto se imagina. Em tempo ruim pode ter que suspender as atividades de perfuração e extração. Veja o exemplo do vídeo:

Como trabalhar em plataformas de óleo e gás

Criamos um guia para ajudar todos que gostariam de trabalhar em plataformas. O mercado é bastante concorrido e há vagas tanto no setor público (Petrobras) quanto no privado.

O guia vai ajudar candidatos iniciantes e experientes a melhorarem suas chances de conseguir um emprego em uma empresa de offshore, e se destacar da concorrência em tempos de crise:

  1. Procure uma profissão que se encaixa a suas habilidades
    Empresas de offshore preferem contratar funcionários experientes. Não necessariamente precisa ter embarcado, mas é importante que seja qualificado e tenha experiência na área que vai trabalhar. O tempo de experiência conta bastante nas chances de conseguir uma vaga. O guia de salários é um bom indicador para saber se vale a pena procurar sua profissão offshore.
  2. Obter qualificações e fazer cursos exigidos
    Para poder embarcar em plataformas é necessário ter as qualificações para a função que vai realizar, além de cursos básicos para trabalhar offshore – tais como CBSP e HUET. Empresas de offshore favorecem quem já tem esses cursos no currículo.
  3. Adapte seu currículo ao cargo
    Para conseguir passar para o estágio de entrevista é necessário que seu currículo se destaque e chama a atenção do empregador. Para isso, deve estruturar um currículo focado para o cargo que está aplicando.
  4. Encontre empresas de offshore
    Envie seu currículo para empresas de óleo e gás que atuam no setor offshore. É importante que monitore as vagas de emprego constantemente. Listamos a grande maioria destas aqui.
  5. Saiba como fazer uma boa entrevista
    A entrevista é onde o empregador decide se vai contratar ou não um funcionário. É importante se apresentar bem e estar preparado para qualquer pergunta que venham perguntar, principalmente sobre suas experiências anteriores.
  6. Encontre concursos públicos
    Uma outra forma de trabalhar em empresas offshore é através de concursos para empresas públicas, a Petrobras sendo a principal. Saiba como encontrar um concurso e como se preparar.