O inscrição para os cursos no CIAGA é hoje uma das mais sólidas e promissoras carreiras existentes no mercado. Com possibilidades de início imediato e ascensão na carreira, além de uma possível carreira militar, a Marinha Mercante tem ainda a vantagem de dar a possibilidade do profissional de conhecer diversos lugares do mundo. A carreira de marítimo tem sido uma das mais procuradas no Brasil.

O que é a Marinha Mercante?

A marinha mercante, pode ser dividida em três ramos:

  1. Marinha de comércio – dedicada às atividades econômicas de transporte de passageiros e de carga;
  2. Marinha de pesca – dedicada à atividade da pesca;
  3. Marinha de recreio – dedicada ao desporto náutico e às outras atividades recreativas.

Este artigo trata exclusivamente da Marinha Mercante com foco em comércio. Isso inclui aquaviários que trabalham em embarcações tipo:

  • Comércio – incluindo cruzeiros, graneleiros, porta-contentores, ferry-boats e navios tanque;
  • Auxiliares – incluindo rebocadores, navios-farol, quebra-gelos e navios de investigação.

Para mais informações sobre embarcações de pesca e recreio saiba como se qualificar para a habilitação náutica para amadores. O ingresso na Marinha do Brasil (Marinha de Guerra) será abordado em outra seção.

O que é um Aquaviário?

O profissional marítimo com habilitação certificada para operar embarcações é chamado de Aquaviário. Para trabalhar como Aquaviário na Marinha Mercante é necessário realizar os Curso de Formação de Aquaviários realizado pela Capitanias dos Portos. A profissão é regulamentada pela Diretoria de Portos e Costas da Marinha (DPC) da Marinha do Brasil que regulamenta todo o tráfego aquaviário em Águas Jurisdicionais Brasileiras e a salvaguarda da vida humana no mar.

A carreira de Aquaviário é dividida em duas seções: Convés e Máquinas. Dentro destas duas seções que compõem a categoria de Aquaviários, os profissionais são distribuídos em 6 grupos:

1º Grupo – Marítimos: tripulantes que operam embarcações classificadas para navegação em mar aberto, apoio portuário e para a navegação interior nos canais, lagoas, baías, angras, enseadas e áreas marítimas consideradas abrigadas;

2º Grupo – Fluviários: tripulantes que operam embarcações classificadas para a navegação interior nos lagos, rios e de apoio fluvial;

3º Grupo – Pescadores: tripulantes que exercem atividades a bordo de embarcação de pesca;

4º Grupo – Mergulhadores: tripulantes ou profissionais não-tripulantes com habilitação certificada pela autoridade marítima para exercer atribuições diretamente ligadas à operação da embarcação e prestar serviços eventuais a bordo às atividades subaquáticas;

5º Grupo – Práticos: aquaviários não-tripulantes que prestam serviços de praticagem embarcados;

6º Grupo – Agentes de Manobra e Docagem: aquaviários não-tripulantes que manobram navios nas fainas em diques, estaleiros e carreiras.

As categorias de Oficiais existentes no 1º Grupo-Marítimos, onde se dá o ingresso na carreira Oficial são: Convés e Máquinas.

Como ingressar na carreira de aquaviário?

Para ingressar na carreira de aquaviário o interessado deve procurar a Capitania dos Portos, Delegacia ou Agência mais próxima, que estão localizadas em todo território nacional. Após concluir o  Curso de Formação de Aquaviários o participante estará habilitado para ingressar na carreira de aquaviário como Moço de Convés o Moço de Máquinas.

A formação não garante uma contratação. O aluno formado terá que se candidatar as vagas nas empresas marítimas e offshore na área marítima.

Curso de Formação de Aquaviários – CFAQ

O Curso de Formação de Aquaviários (CFAQ) é um curso de capacitação do Ensino Profissional Marítimo (EPM) totalmente gratuito que permite que os candidatos se habilitarem para começar uma carreira na Marinha Mercante.

A Autoridade Marítima Brasileira (Marinha do Brasil), por intermédio da Diretoria de Portos e Costas, é responsável pela aplicação dos cursos do Ensino Profissional Marítimo, os quais são aplicados nos Órgão de Execução que são os Centro de Instrução Almirante Graça Aranha (CIAGA), no Rio de Janeiro, Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar (CIABA), em Belém e nas Capitanias, Delegacias e Agências existentes em todo território nacional.

Os cursos do CFAQ tem, em média, duração de 7 meses. Após a realização do curso, o profissional está habilitado a iniciar sua carreira no ramo marítimo.

Para se candidatar ao CFAQ o interessado deverá:

  1. Ter concluído o Ensino Médio;
  2. Ter mais de 18 anos
  3. Ser brasileiro nato ou naturalizado.

Na inscrição, o candidato também deve apresentar uma série de documentos definidos pela Marinha. Esse curso não tem classificação de Concurso, podendo ser ministrado pela Marinha ou entidades devidamente credenciadas para a realização das aulas e atividades de formação.

Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante – EFOMM

A Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante – EFOMM – é uma instituição de ensino superior militar, administrada pela Marinha do Brasil e mantida com recursos do Fundo de Marinha Mercante. A EFOMM tem como objetivo a formação de Oficiais de Náutica e Oficiais de Máquinas, graduados em Ciências Náuticas e integrantes do Quadro de Oficiais da Reserva não remunerada da Marinha do Brasil com a patente de 2º Tenente (2T-RM2).

A EFOMM é uma Universidade do Mar, um centro de referência para a formação de Oficiais da Marinha Mercante altamente qualificados, não só do Brasil, mas também para jovens cujo país de origem não tenha uma Escola de Marinha Mercante, ou para jovens cujo país de origem possua intercâmbio de alunos, como Peru, Panamá, Equador, República Dominicana, etc. O Brasil atende como referência para a América Central, América do Sul e Parte da África. Isso atesta o nível de capacitação profissional a que o Oficial brasileiro se lança no mercado.

Na EFOMM são formados Oficiais em duas opções de curso: o de Náutica e o de Máquinas. Tanto no curso de náutica quanto no de máquinas, os alunos estudam na Escola em regime de internato durante 3 anos. O curso terá dois períodos e será desenvolvido em oito semestres, a saber:

  • Período Acadêmico: composto de seis semestres letivos em regime de internato, com dedicação exclusiva do aluno e estruturado em um sistema serial anual, dividido em dois semestres; e
  • Período de Estágio: compreendendo dois semestres embarcado para o curso de Náutica e um semestre embarcado para o curso de Máquinas, cumprindo estágio supervisionado.

No Brasil, existem duas escolas irmãs mantidas pela Marinha do Brasil, sendo uma instalada no Centro de Instrução Almirante Graça Aranha (CIAGA), no Rio de Janeiro, e outra instalada no Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar (CIABA), em Belém, Pará.

Programa de Ensino Profissional Marítimo – PREPOM

Os cursos do PREPOM – Programa de Ensino Profissional Marítimo são destinados à formação e aperfeiçoamento de todo o pessoal aquaviário de navios mercantes. Aquaviários formados pelo EFOMM necessitam  realizar os cursos de aperfeiçoamento com uma certa regularidade que são homologados em sua Caderneta de Inscrição e Registro (CIR).

O que é a Caderneta de Inscrição e Registro – CIR?

A CIR é o documento que comprova o ingresso do cidadão brasileiro em um dos grupos de Marítimos, Fluviários ou Pescadores, na Seção de Convés ou Máquinas, devidamente aprovados nos seguintes cursos:

a) Curso de Formação de Aquaviário – CFAQ; ou
b) Curso de Adaptação de Aquaviário – CAAQ; ou
c) Curso de Acesso a Carreira de Oficial de Náutica ou Máquinas – ASON ou ASOM; ou
d) Curso de Formação de Oficiais da Marinha Mercante – EFOMM.

Porque ingressar na Marinha Mercante?

Antes de embarcar no processo de qualificação para ingressar na Marinha Mercante, avalie se essa é carreira certa para você!

Vantagens

  • Ótimos salários: desde seus níveis de base, a Marinha Mercante conquista cada vez mais profissionais por oferecer salários atrativos e vantagens aos aquaviários.
  • Diferentes destinos: a vida na Marinha possibilita viajar constantemente e conhecer diversos lugares do Brasil e do mundo.
  • Muitas vagas disponíveis: no setor as vagas sempre em aberto. Estar atento e ser capacitado garante uma colocação no mercado.
  • Plano sólido de carreira: a Marinha Mercante segue um plano de carreira, o que permite sempre sonhar mais alto.

Desvantagens

  • Trabalhar embarcado: a adaptação a escala de trabalho e as atribuições pode ser um problema; em média trabalha-se 15 dias no mar e 15 em terra. Algumas escalas podem ser de 28×28, ou seja, 28 dias embarcado e o mesmo período de descanso.
  • A sensação de confinamento também deve ser trabalhada para não atrapalhar o profissional.
  • Ficar longe da família: a maioria dos aquaviários sente muita falta da família e amigos, devido aos longos períodos no mar.

Mercado de trabalho

Mesmo com a crise financeira que o Brasil atravessa, a Marinha Mercante continua com vagas abertas e crescente demanda por novos profissionais. A exigência de uma qualificação reduz a concorrência por vagas no ramo.

As possibilidades de emprego são ainda maiores por serem possíveis contratações por empresas públicas e particulares, tornando os salários iniciais  muito atrativos, assim como a progressão de carreira.

Nesta Seção

Nesta seção também será abordado:

Páginas Relacionadas

Aquaviários da Seção de Convés – Marinha Mercante

A Marinha Mercante tem duas áreas principais de atuação: Convés e Máquinas. As vagas para as duas áreas estão sempre abertas e o mercado segue… Saiba mais

Aquaviários da Seção de Máquinas – Marinha Mercante

A Marinha Mercante possui dois principais setores: Convés e Máquinas. O setor de máquinas é responsável pelo funcionamento e manutenção dos equipamentos do navio. São… Saiba mais

PREPOM – Programa de Ensino Profissional Marítimo

Os cursos do PREPOM – Programa de Ensino Profissional Marítimo são destinados à formação e aperfeiçoamento de todo o pessoal aquaviário de navios mercantes. Aquaviários… Saiba mais

Salários de Aquaviários da Marinha Mercante

Os salários recebidos na Marinha Mercante são um dos maiores atrativos da carreira. Variando bastante entre empresas públicas e privadas, os valores podem passar dos… Saiba mais